Soneto da Chuva

---
Muitas nuvens passeando frente a tarde,
De negro o céu pintando com brandura,
Já caem primeiros pingos desta cura,
Aos poucos vem chegando sem alarde.
---
E lá fora ouço o som de tantas gotas,
Que juntas, elas molham a calçada,
Eu olho pra janela e dou risada,
Será que molhariam sendo poucas?
---
Percebo neste louco devaneio,
Que a água, sendo muita, é o oposto,
De tudo o que eu mais gosto e o que odeio:
---
Eu devo admitir, a contragosto,
Molhando esta minh'alma, ela me veio,
Bem pouquinha, a cair deste meu rosto.
---
#byLupo

3 comentários:

Reflexo d Alma disse...

SOU EU....
ADOREI...
'Muitas nuvens passeando frente a tarde,
De negro o céu pintando com brandura,
Já caem primeiros pingos desta cura,
Aos poucos vem chegando sem alarde."

BJINS ENTRE SONHOS E DELÍRIOS

silvioafonso disse...

.

Por Deus não fale em chuva e
muito menos no som de suas
goteira, pois eu lembro os
meus tempos de criança quando
eu contava os pingos em minha
cama a noite inteira.
Os relâmpagos clareavam a sala
aonde dormíamos eu e as filhas
dos meus pais. O quarto era
deles e da sala eu não esqueço
mais. Durante o dia era um
salão 4X4 com tração nas 4 e
a noite era o dormitório das
crianças. A chuva molhava mais
por dentro que por fora, mas
tudo é diferente agora, quando
eu quero água e não encontro.
Por isso, não me fale em chuva
para eu não correr de braços
abertos, cara ao vento, pés no
chão, como antigamente.

silvioafonso.





.

Faa Cintra disse...

Eu gosto bastante da chuva... Ela me faz um bem

Postar um comentário

Olá. Obrigado por comentar meu texto. Se deixar o endereço do seu site / blog, eu retribuirei sua visita com prazer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...