Soneto para Meg

Não parece um lindo Gremilin? =)
Te amo Meg!

Quando chego ela corre pro portão
Sente o som do momento da chegada
Tal a filha que do pai não foi gerada
Mas que entrega todo amor com devoção.

E é tão meiga e por todos adorada
Essa linda e tão minha companheira
Que não quero botar-lhe uma coleira
Que lhe impeça de por outros ser amada.

E é por isso que o cuidado que eu lhe tenho
Não me paga o prazer da companhia
Que me dá a todo instante esta cadela.

É impossível todo o amor que aqui mantenho
Explicar nesta minha vil poesia
O que só o coração a mim revela.

#byLupo - 14/12/2010


É impossível explicar o amor de um cão pelo seu humano sem ser um cão. É impossível explicar o amor de um humano pelo seu cão para alguém que não ama os animais.

8 comentários:

LyRodrigues disse...

Com algumas adaptações vai ficar perfeito pra Lila e pra Pretinha (hehe)

Como eu amo os animais, achei lindo, mor

Bnam

Blog da Fofa disse...

Bb, lindo e merecido esse soneto. A Meg é uma cachorrinha tão graciosa, tão carinhosa e companheira. Amo demais. Um beijão

Do OUTRO lado do espelho... disse...

Oi Lupo...adorei o soneto...pena que ainda exista pessoas que nuncam experimentaram amar e ter o amor de um cãozinho...

Para quem nunca teve um animal de estimação, talvez seja surpreendente o apego e o cuidado que se tem para com eles. Contudo, aqueles que os têm ou tiveram, sabem o quanto podem ser amigos fiéis, companheiros, dedicados, amorosos e o porquê de sermos capazes de nos apegar a eles como a um ser humano.

bjão querido

Maria Helena disse...

Meu querido, vi além do seu amor pela sua Meg o seu respeito a individualidade de cada ser. "Que não quero botar-lhe uma coleira/Que lhe impeça de por outros ser amada." Que maravilha! Você não a tem como sua propriedade mas com a liberdade de ser amada não apenas por você. Ah! Se eu tivesse pertinho da Meg, ia visitá-la muito! Adorei!

Faa Cintra disse...

Lindo. Devemos aproveitar esse carinho e atenção que nos é dado

Jota Brasil disse...

Legal Beloso...saudade da MINHA Meg, que no meu caso era uma gata...

Sônia Cristina disse...

Eu costumo dizer que quem nunca experimentou ou não se permitiu amar um animal não sabe o que é amor de verdade, um amor que nada pede nada cobra, só da, nem nada pedir em troca, nem ao menos um olhar
Adorei moço.

bj pra ti pra Meg e pros irmãos dos meus filhinhos de 4 patas que eu sei que você tem aí.

Paty Lopes disse...

gente
tem amor pra dar e vender

que olhos os seus!
.
.
.
e se esse poema for vil
eu sou a mais viril fêmea sentimental.

Postar um comentário

Olá. Obrigado por comentar meu texto. Se deixar o endereço do seu site / blog, eu retribuirei sua visita com prazer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...