Intertextualidade Dualista

Vinicius de Moraes
Preciso só de um alguém urgentemente,
Que sare este meu peito apunhalado,
E que aqueça o coração, já congelado,
E que queime esta minh'alma em fogo ardente.

E assim, quando chegares em minh'história,
Terei dez mil motivos p'ra escrever,
Aquilo que "arde tanto sem ver",
E já não mais existe na memória.

Depois, quando acabar o sentimento,
Do amor - que existirá e terá fim -
E não puder me achar quando procure,

Lerás em versos tristes um tormento,
Em forma de soneto, findo assim:
Que então "seja infinito enquanto dure".

#byLupo - 21/08/2008


Relembrando Camões e Vinicius, dois dos meus sonetistas favoritos.

10 comentários:

Blog da Fofa disse...

Ô meu lindo. Será que esse alguém que você precisa não pode ser eu??? rs. É só querer, mas não vou gostar da parte "_que existirá e terá fim_", tá? Lindo soneto. Vc faz poesia no meu coração, bjão Te adoro, fika com Deus

Jota Brasil disse...

Ou que seja infinitamene duro!!!!!
Valeu Carcamano. Sempre bom reler seus sonetos

Abismos e florestas disse...

Realmente, ler e reler o Belo é um prazer enorme!

silvioafonso disse...

.

Vinícius. O maior, senão o melhor
amigo que o meu pai já teve.
Um boxer apaixonado e um
galanteador inveterado.
Era assim que os chamavam.
Vinícius Não perdia uma só de suas
lutas e das poucas que o seu amigo
perdeu, a que mais doeu foi com a
morte que venceu Vinícius e
nocauteou meu pai.

Saudade dos dois...

silvioafonso.




.

LyRodrigues disse...

Nem todos os amores têm fim...

Bnam

Lupo disse...

Ê Carol, vc não pode ser a do soneto não! O final é triste rs... Bjo linda!

Então carcamano, sabe que já fiz um soneto paródia sobre este escrito né? Terminava assim mesmo. Saudade de vc Jaime.

Silvio, não sabia que seu pai era amigo do Vinícius. Penso que ambos deixaram coisas muito boas. Vc é um grande amigo, e penso que muito disso se deve ao que seu pai lhe ensinou. Acredito muito no determinismo Lamarquista, tanto para o bem quanto para o mal.

E o meu por vc jamais terá fim Ly. Bnam!

Faa Cintra disse...

Belos versos, alegria em te-lo como amigo.

Prazer em ler-te

Oi Sarinha disse...

Ei Lupo, li seu comentario no meu blog, me deixou tão feliz, voce não imagina. Foi de longe o comentario mais sincero que recebi, e que bom ( ou talvez nem tanto ) que estejamos quase no mesmo barco.
Deixar de viver nossas vidas, pra viver a vida alheia, deixar nosso bem pra depois, ja que não aprendemos a dizer não.
Os chamados Bobinhos, que todo mundo gosta, pq sempre estao la pra socorrer, mais que a sua propria vida não sai do lugar.
É tanta gente nos sugando, que quando pensamos eu nos, ja não existe força pra lutar, e vencer ja é quase uma ilusão, sonho distante.

'Preciso só de um alguém urgentemente,'

Ahh como eu preciso tambem, mais confesso pra voce, o que ainda nao disse a ninguem: ja não tenho forças, as dores que ja senti, os amores que perdi, me trancaram em mim mesma. Eu nem choro mais ( alias esse eh meu proximo tema ) verdade, ja não choro a meses, e não é falta de motivos, elas secaram mesmo, acabaram! e delas so restou o no na garganta que nao me permite respirar. Como eu queria chorar, ate alivar toda essa dor e perplexidade, com as pessoas, mundo, vida, que me consomem por dentro.

Nossa.. foi um desabafo, eu precisava disso agora, nesse momento!
como vce, eu tb não acredito em coincidências, e nossos desabafos não foram por acaso.

beeeij e boa noite

Neide Gautama disse...

...E assim, quando chegares em minh'história,
Terei dez mil motivos p'ra escrever,
Aquilo que "arde tanto sem ver",
E já não mais existe na memória... extremamente fascinante ...
bju Lupo;*

Lupo disse...

Faa, Sarinha e Neide, como é bom tê-las aqui no meu cantinho! Muito muito muito obrigado!

Postar um comentário

Olá. Obrigado por comentar meu texto. Se deixar o endereço do seu site / blog, eu retribuirei sua visita com prazer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...