Soneto do Covarde

---
Querer nem é mais verbo, é o que eu quero,
Mas sinto-me tão só e desarmado,
E triste, vou vivendo em tal estado,
Que espero, tão cansado, mas espero.
---
É assim, já faz um tempo que é assim:
Perdido em pensamento, sem ação.
Não tem mais movimento o coração,
Morrendo o recomeço d'outro fim.
---
Mas o fim é o começo d'outro início,
No fim é que eu me lembro que no mundo,
Não sou tão importante, nem sou tudo.
---
Querer não esperar, este é o meu vício:
Meu mar é sempre raso, nunca é fundo,
Só sei ser sempre eu, eu nunca mudo.
---
#byLupo

3 comentários:

Ly disse...

"Mas o fim é o começo d'outro início"

Sou uma nova afccionada por te ler

E vc ainda se define aprendiz...

beijos na alma

Jota Brasil disse...

Kaspita...
Já tinha lido esse....não lembro onde, acho que foi um dos ultimos do PM não foi?
VErygdymaifren

Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz disse...

Muito bom, mesmo! Beijossssssss

Postar um comentário

Olá. Obrigado por comentar meu texto. Se deixar o endereço do seu site / blog, eu retribuirei sua visita com prazer.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...